Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 1 de janeiro de 2011

CLASSIFICAÇÃO NA NCM DE MÁQUINAS PARA BRUNIR

O brunimento é um processo de usinagem por abrasão, que utiliza brunidores (isto é, ferramentas para abrasão), cuja finalidade é proporcionar dimensões precisas e bom acabamento superficial de peças, na maioria das vezes, metálicas. Via de regra, o brunimento é feito na parte interna de furos, de cilindros (por exemplo, de motores) e de peças (como por exemplo, em válvulas ou guias internas de peças).
Para brunir uma peça são utilizados brunidores colocados em máquinas denominadas máquinas brunidoras. Esses brunidores são constituídos por vários tipos de grãos abrasivos, diamantados ou não.
Para a execução da operação de brunimento são necessários líquidos refrigerantes, os quais aumentam a vida útil do brunidor.
Dessa maneira, o brunimento é um processo de usinagem que engloba uma máquina, um ferramental, uma ferramenta e um líquido refrigerante.
Você poderá ver vídeos sobre diversas aplicações do brunimento no endereço http://www.brunitec.com.br/videos-de-brunimento.php.
De acordo com a RGI 1, as máquinas brunidoras se classificam na posição 8460, cujas NESH ensinam que:
A presente posição abrange certas máquinas para o acabamento das superfícies dos metais ou dos ceramais (cermets), com exceção das máquinas para cortar ou acabar engrenagens (posição 8461). Estas máquinas atuam por eliminação de matéria com auxílio de mós, de abrasivos ou de produtos polidores.
Consideram-se "produtos polidores", na acepção da presente posição:
1) os discos polidores de carbonetos metálicos, de aço, de metais macios, de madeira, de feltro, de tecido ou de couro;
2) as escovas metálicas;
3) as almofadas de polir.
A maioria destas máquinas-ferramentas é acionada mecanicamente. Mas, mesmo quando são movidas manualmente ou com os pés (máquinas de pedal), distinguem-se das ferramentas de uso manual da posição 8205, bem como das ferramentas para emprego manual da posição 8467 porque, habitualmente concebidas quer para assentarem em uma base, quer para serem fixadas ao solo, a um banco, a uma parede ou em outra máquina, possuem, para esse efeito, uma chapa de assentamento ou qualquer outro dispositivo apropriado.
Entre as máquinas deste tipo podem citar-se:
1) As máquinas para rebarbar, de escovas metálicas ou mós para o desbaste de peças moldadas em bruto ou de peças talhadas grosseiramente.
2) As máquinas para afiar ou de amolar ferramentas (incluídas as de amolar ceramais (cermets) e pontas de ferramentas em metal duro) bem como as máquinas para afiar pontas de cardas.
3) As máquinas para retificar, de tipos muito diversos (máquinas para retificar interiormente, máquinas para retificar sem centro, máquinas para retificar superfícies planas, ranhuras, válvulas, corrediças de máquinas, por exemplo), cuja função é a de aperfeiçoar, até o grau de precisão desejado, o trabalho de outras máquinas.
Com o emprego da RGI 6, determina-se a subposição de segundo nível, não desdobrada, 8460.40.
No âmbito do Mercosul a subposição 8460.40 foi desdobrada de forma a atender os diversos tipos de máquinas brunidoras, ou seja:
8460.40 - Máquinas para brunir
8460.40.1 De comando numérico
8460.40.11Brunidoras para cilindros de diâmetro inferior ou igual a 312 mm
8460.40.19 Outras
8460.40.9 Outras
8460.40.91 Brunidoras para cilindros de diâmetro inferior ou igual a 312 mm
8460.40.99 Outras
Dessa maneira, conforme o tipo de brunidora e com o auxílio da RGC-1, pode-se classificar a brunidora em algum dos códigos NCM acima mencionados.
 Cesar Olivier Dalston, www.daclam.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário